Capitale

Search
Close this search box.
Edit Template
Search
Close this search box.

Como migrar para o Mercado Livre de Energia?

Man giving a business presentation using a high technology digital pen

Tem dúvidas sobre como migrar para o mercado livre de energia? Nós explicamos!   

Entender como migrar para o Mercado Livre de Energia ou Ambiente Livre de Contratação (ACL) pode gerar dúvidas e até inseguranças por parte dos empresários. Por isso, explicaremos como funciona esse mercado que é uma tendência global e futuramente será uma realidade até mesmo para você, na sua casa.    

 

Para começarmos, você sabe como funciona o Mercado Livre de Energia no Brasil? É uma mudança contratual a qual permite consumidores conectados em média ou alta tensão, ou seja, com elevado consumo mensal de energia (contas acima de R$15 mil ao mês mais ou menos), escolherem comprar energia diretamente de um gerador ou uma comercializadora de energia, que intermedia a compra e venda entre consumidor final e geradores.  

 

Em outras palavras, isso significa liberdade de escolha desde o fornecedor até quantidade de energia a ser contratada, respeitando o perfil de consumo do consumidor. 

 

Além disso, o preço praticado nesse mercado é bastante inferior ao preço de energia das distribuidoras sendo este um dos principais atributos que torna este mercado tão atrativo aos olhos dos consumidores.  

 

Também é possível negociar ferramentas contratuais como flexibilidade, sazonalidade, pausa programada, data de pagamento mensal, índice de reajuste contratual, entre outras que juntas maximizam os resultados da unidade consumidora resultando em expressivas reduções de custo chegando até 40% ao mês.   

 

Se interessou? Então continue a leitura e conheça o passo a passo e também os principais pontos a se atentar antes de migrar.  

 

Como eu posso migrar para o mercado livre de energia? 

O Mercado Livre de Energia elétrica é uma excelente alternativa para redução dos custos de energia. Porém, quando não realizado com auxílio de uma empresa especializada, há chance de riscos que podem fazer do céu um inferno na vida do consumidor.     

 

É por esse motivo que o principal ponto que indicamos a se atentar é na contratação de uma comercializadora ou gestora de energia especializada neste mercado para auxiliá-lo com segurança neste processo, para criar em conjunto com a sua empresa uma estratégia de contratação que faça a migração ser um sucesso.  

 

O passo a passo para migração 

1- Primeiramente você precisa saber se a sua empresa é elegível para migrar para o mercado livre de energia 

As regras atuais só permitem que consumidores com a demanda contratada igual ou superior a 500 kW migrem para esta modalidade. Há também a opção de junção de cargas para empresas com mais de uma unidade. Para isso, as unidades devem ter mesma raiz de CNPJ, estarem localizadas na mesma distribuidora e somatizarem 500 kW.   

 

Caso a empresa tenha demanda inferior a 500 kW também é possível estudar uma migração, elevando a demanda contratada que é compensada pelo valor inferior pago pela energia.  

 

2- Estudo de viabilidade econômica 

Não faz sentido o consumidor realizar alguma mudança caso não haja ganho econômico, não é mesmo? Afinal, ninguém quer pagar mais caro apenas para estar em outra modalidade. Por este motivo, é preciso realizar um estudo de viabilidade com uma empresa especializada que irá comparar a sua situação atual no mercado cativo em relação a uma possível migração. Para isso será preciso que o consumidor envie cópias das faturas de energia para que haja um estudo mais aprofundado.  

 

3- Aviso à distribuidora a respeito da sua intenção de migrar  

Nesta parte do processo muitos consumidores se perguntam se não haverá conflito com a distribuidora na escolha desta modalidade e a resposta para isso é não, não irá. O processo de avisar a distribuidora é conhecido como “denúncia” do contrato e deve ser feito seis meses antes do termino do contrato, por meio de uma carta.  

 

4- Comprar energia!  

Os preços no Mercado Livre de Energia são um pouco voláteis e dependendo da fase podem sofrer variações no mesmo dia. Por isso, com a certeza da data de migração, é preciso travar os preços de energia garantindo assim os resultados que foram estipulados na análise de viabilidade.   

 

5- A sua empresa será um agente na CCEE e para isso precisa iniciar o processo de adesão  

A não ser que a migração da sua empresa tenha sido via uma comercializadora varejista, a qual possibilita que o consumidor não precise se associar à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), será necessário fazer a adesão. É super recomendável que o consumidor tenha uma empresa que o represente na CCEE para auxilia-lo no entendimento e na condução dos processos da Câmara.  

 

6- A única mudança física desta modalidade é a Adequação do Sistema de Medição de Faturamento 

A adequação do sistema de medição de faturamento ou SMF, é um novo medidor digital que passa a medir de forma horária o consumo da empresa.   

 

E ai, ficou mais fácil de entender como migrar para o mercado livre de energia? Então faça agora mesmo o teste em nossa calculadora e descubra quanto de desconto em conta de energia sua empresa pode ter! 

Secured By miniOrange